Siga o Portal do Holanda

Bolsonaro é o que menos perde com Coronavírus

Publicado

em

 

Com o Congresso solidário e aumentando o poder do Executivo para gastar, o governo federal faz um jogo complexo para evitar, ao seu modo, uma onda de  falências. Anunciou a injeção de R$ 55 bilhões, do BNDES, na economia. Se a preocupação é manter os setores produtivos funcionando, o que parece impossível com as medidas de restrição a circulação já anunciadas, as ações sanitárias deveriam ser a prioridade máxima.

A quantia anunciada é midiática e revela a preocupação do governo em melhorar a imagem do presidente Bolsonaro, que vem caindo diante de suas falas e atitudes na crise.

O ‘grosso’ dessa grana, R$ 30 bilhões, vai para setores de infraestrutura de grande porte, e pequenas e médias empresas, para refinanciamento direto e indireto de operações.

A destinação de R$ 20 bilhões do PIS/Pasep para saques do FGTS é outra atitude midiática, que mostra a incoerência de ‘socorrer’ setores econômicos, já provisionando para demissões. E de quase nada adiantará, no médio e longo prazo, flexibilizar, como pretende o governo,  o regime de home office - que, por sua natureza, é provisório e não contempla o interesse da maioria das empresas -  ou mesmo  a antecipação de férias, com o trabalhador com a corda no pescoço para demissão.

No final, quando a população brasileira se ‘acostumar’ com o novo vírus, empresários  e trabalhadores estarão descapitalizados para sobreviver, enquanto   Bolsonaro, como sempre, usará a desculpa de que a causa da crise é a democracia,  o Congresso e o Judiciário. E será seguido por um bando de anencéfalos - que constituem seu exército virtual.


+ BASTIDORES DA POLÍTICA

Últimas notícias

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.