Siga o Portal do Holanda

Bolsonaro é uma novidade arqueológica, arrancada do estado fóssil da política

Publicado

em

O capitão Jair é uma novidade arqueológica, um ser anacrônico arrancado do  estado fóssil da  política para governar um país necessitado de um estadista para atravessar o temporal da crise.

O envelhecimento precoce do novo. É o que o Brasil está vivenciando no atual governo. Do desastre administrativo à ‘rede de baixaria’, tudo no presidente Bolsonaro revela o despreparo para gerenciar o país, com seu estilo boca podre e improvisação desastrosa.

Sua individualidade obsessiva e sua pobreza de conhecimento do país  fazem do capitão Jair uma novidade arqueológica, um ser anacrônico arrancado de  estado fóssil na política para governar um país necessitado de um estadista para atravessar o temporal da crise.

O ‘bate-boca que protagonizou ontem com uma repórter da Folha de S. Paulo, evidenciou ainda mais sua pobreza de vocabulário e conhecimento, à altura de um chefe de governo. O que torna quase impossível alcançar a condição de chefe de Estado.

Questionado sobre o corte de recursos das universidades federais, Bolsonaro disparou uma incongruência ‘espantosa’, dizendo que nenhuma universidade brasileira estava entre as 250 melhores do mundo. Improvisou mais uma pérola de sua lógica inversa.

E foi desrespeitoso com a repórter quando a mandou “entrar de novo numa faculdade que prestar e fazer um bom jornalismo”. Sequer percebeu que estava falando de um sistema de ensino que ele próprio está se esforçando para tornar pior do que já está. 

+ BASTIDORES DA POLÍTICA

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.


Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.