.
Siga o Portal do Holanda

Economia

Pandemia leva Hertz a pedir proteção contra falência nos EUA

Publicado

em

A Culpa é do Supremo


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A multinacional de aluguel de automóveis Hertz, com mais de um século de existência, entrou com pedido de falência na sexta-feira (22) depois que seus negócios desapareceram durante a pandemia de coronavírus e as conversas com credores não resultaram no alívio necessário.

A Hertz disse em um processo nos Estados Unidos na sexta-feira que entrou voluntariamente para a reorganização do capítulo 11 (Lei de Falências, do código americano). Suas regiões operacionais internacionais, incluindo Europa, Austrália e Nova Zelândia, não foram incluídas nos procedimentos dos EUA (o Canadá, por outro lado, sim). As franquias, que não são propriedade da empresa, também ficaram de fora.

A empresa, cujo maior acionista é o investidor bilionário Carl Icahn, sofre com as ordens do governo que restringem as viagens e exige que os cidadãos permaneçam em casa. Grande parte da receita da Hertz vem do aluguel de carros nos aeroportos, que praticamente desapareceram à medida que os clientes em potencial evitam as viagens de avião.

"O impacto da Covid-19 na demanda de viagens foi repentino e dramático, o que provocou uma forte queda dos rendimentos da empresa e das reservas futuras", diz um comunicado divulgado pela Hertz.

A empresa afirma que tomou "medidas imediatas" para priorizar a saúde e a segurança dos empregados e clientes e eliminar "todos os gastos não essenciais". "No entanto, persiste a incerteza sobre quando os rendimentos voltarão e quando o mercado de veículos usados voltará a abrir por completo para as vendas, o que é uma exigência da ação de hoje."

Com quase US$ 19 bilhões (R$ 108 bilhões) em dívidas e aproximadamente 38 mil funcionários em todo o mundo até o final de 2019, a Hertz está entre as maiores empresas a serem desfeitas pela pandemia. A crise da saúde pública também causou uma cascata de falências ou entradas no capítulo 11 entre empresas dependentes da demanda do consumidor, incluindo varejistas, restaurantes e empresas de petróleo e gás.

Até agora, as companhias aéreas dos EUA evitaram destinos semelhantes depois de receber bilhões de dólares em ajuda do governo, um caminho que a Hertz explorou sem sucesso.

A empresa de Estero, na Flórida, que opera aluguel de carros Hertz, Dollar e Thrifty, estava conversando com os credores depois de pular pagamentos significativos de aluguel de carros com vencimento em abril. Os acordos de tolerância e isenção dos pagamentos perdidos estavam programados para expirar em 22 de maio. A Hertz possui cerca de US $ 1 bilhão em dinheiro.

O tamanho das obrigações de aluguel da Hertz aumentou à medida que o valor dos veículos diminuiu devido à pandemia. Em uma tentativa de apaziguar os credores que possuem títulos lastreados em ativos que financiam sua frota de mais de 500 mil veículos, a Hertz propôs vender mais de 30 mil carros por mês até o final do ano, em um esforço para angariar cerca de US$ 5 bilhões (R$ 28,5 bilhões), segundo uma pessoa familiarizada com o assunto.

Em 16 de maio, o conselho nomeou o executivo Paul Stone para substituir Kathryn Marinello como presidente-executivo. A Hertz demitiu anteriormente cerca de 10 mil funcionários e disse que havia uma dúvida substancial sobre sua capacidade de continuar como uma preocupação constante.

Os problemas da Hertz foram agravados pela complexidade de seu balanço, que inclui mais de US$ 14 bilhões (R$ 79,8 bilhões) em dívidas securitizadas. Os recursos provenientes desses títulos financiam as compras de veículos que são alugados à Hertz em troca de pagamentos mensais que aumentaram à medida que o valor dos carros diminui.

A Hertz também possui linhas de crédito tradicionais, empréstimos e títulos com condições que podem desencadear inadimplências com base na falta desses pagamentos de arrendamento ou no não cumprimento de outras condições, como entregar um orçamento operacional oportuno e reembolsar os fundos emprestados.

A Hertz sinalizou anteriormente que poderia evitar a falência se recebesse alívio de credores ou ajuda financeira que a empresa e seus concorrentes solicitaram ao governo dos EUA. O Tesouro do país começou a ajudar as empresas como parte de um pacote de alívio sem precedentes de US$ 2,3 trilhões (R$ 13,1 trilhões), aprovado pelo Congresso e sancionado.

A companhia já operou no Brasil e teve no país frota de 9 mil veículos. Em 2016, a Localiza adquiriu a operação da americana em negócio de R$ 337 milhões à época.

Nos EUA, a Hertz tenta reestruturar seu negócio há anos, e enfrenta competição forte com concorrentes locais como a Avis. Segundo o Wall Street Journal, as duas empresas cortaram salários de executivos recentemente.

Já leu estas ?

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.